10 fantasticos Livros sobre estética

Veja  10 mais vendidos Livros sobre estética

SaleLivro N. 1
Beleza
  • Roger Scruton
  • Publisher: É Realizações
  • Edition no. 1 (10/01/2013)
  • Capa comum: 232 pages
Livro N. 3
Nosso amplo presente
  • Hans Ulrich Gumbrecht
  • Publisher: Editora Unesp
  • Edition no. 1 (09/01/2015)
  • Capa comum: 160 pages
Livro N. 4
Sacher-Masoch: o frio e o cruel (Estéticas)
  • Gilles Deleuze
  • Zahar
  • eBook Kindle
  • Português
Livro N. 5
REMONTAGENS DO TEMPO SOFRIDO - O OLHO DA HISTORIA - VOL. II
  • GEORGES DIDI-HUBERMAN
  • Publisher: UFMG
  • Capa comum: 266 pages
Livro N. 6
Da Arte do Belo
  • Capa Dura
  • Sobrecapa
  • Shrink Individual
  • Dezenas de imagens coloridas
Livro N. 7
A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica
  • Walter Benjamin
  • L&PM Editores
  • eBook Kindle
  • Português
Livro N. 8
Adorno e a arte contemporânea (PAP - Filosofia)
  • Verlaine Freitas
  • Zahar
  • eBook Kindle
  • Português
Livro N. 9
Lógica e música: conceitualidade musical a partir da filosofia de Kant e Hanslick
  • Ricardo Miranda Nachmanowicz
  • Relicário
  • eBook Kindle
  • Edition no. 1 (03/01/2016)
  • Português
Livro N. 10
Magia e Técnica, Arte e Política: Obras escolhidas, Vol. 1
  • Walter Benjamin
  • Brasiliense
  • eBook Kindle
  • Português

Entenda mais sobre o assunto:

Estética (do grego aisthésis: percepção, sensação, sensibilidade) é um ramo da filosofia que tem por objetivo o estudo, da natureza, da beleza e dos fundamentos da arte. Ela estuda o julgamento e a percepção do que é considerado beleza, a produção das emoções pelos fenômenos estéticos, bem como: as diferentes formas de arte e da técnica artística; a ideia, de obra, de arte e de criação; a relação entre matérias e formas nas artes. Por outro lado, a estética também pode ocupar-se do sublime, ou da privação da beleza, ou seja, o que pode ser considerado feio, ou até mesmo ridículo.[1]

Para Aristóteles e Platão, a estética era estudada e fundida com a lógica e a ética. O belo, o bom e o verdadeiro formavam uma unidade com a obra. A essência do belo seria alcançada identificando-o com o bom, tendo em conta os valores morais.[2] Na Idade Média surgiu a intenção de estudar a estética independente de outros ramos filosóficos.
No âmbito do Belo, dois aspectos fundamentais podem ser particularmente destacados: